Informações Sobre a Raça e Características da Personalidade do Maltês

 

Extremamente adequado para viver dentro de casa em áreas pequenas, o pequenino Maltês é gentil, responsivo e inteligente. Pode ser um comedor inconstante e difícil de aprender a usar o banheiro.

Maltês Num piscar de olhos

The Maltese Dog Breed

O Maltês foi altamente valorizado na sociedade. De fato, um registro fala de um Maltês sendo vendido em 1500 pelo equivalente a $2.000.

Tamanho:

Faixa de Peso:

Macho: 1,81 kg 

Fêmea: 1,81 kg

Altura na Cernelha:

Macho: 25,4 cm

Fêmea: 22,86 cm

Características:

Orelhas caídas (naturalmente).

Expectativas:

Necessidade de Exercícios: 20 minutos/dia 

Nível de Energia: Altamente enérgico.

Faixa de Longevidade: 12-14 anos

Tendência a Babar: Baixa.

 Tendência a Roncar: Baixa.

Tendência a Latir: Alta.

Tendência a Cavar: Baixa.

Necessidade Social/de Atenção: Alta.

Criado Para:

Cão de Colo.

Pelagem:

Comprimento: Longo.

Características: Liso.

Cores: Branco.

Cuidados com a Higiene: Alto.

Reconhecimento do Clube:

Classificação do AKC: Toy.

Classificação do UKC: Cão de Companhia. 

Prevalência: Comum.

O Maltês é um cão pequenino que pesa de quatro a 2,72 quilogramas (dois ou três quilogramas).

O corpo é compacto, as omoplatas inclinadas. O dorso é nivelado e as costelas bem arqueadas. A cauda em mecha é portada graciosamente sobre o dorso. O pescoço é elegantemente estruturado para promover a cabeça erguida.

A cabeça é bem proporcional ao corpo e o crânio é um pouco arredondado. As orelhas caídas são de inserção baixa e com muitos pelos. Os olhos são escuros, a trufa preta e o focinho de comprimento médio e um pouco afunilado.

A pelagem longa e sedosa que arrasta no chão ou quase dá ao Maltês uma aparência quase ornamental. O pelo longo da cabeça pode ser amarrado em topete ou deixado solto. A cor da pelagem é branco puro.

O Maltês se move com uma marcha flutuante e fluida.

Personalidade:

O Maltês gentil, afetuoso, inteligente, responsivo e confiante. Um bom cão de família, Maltêses são vivazes, brincalhões, vigorosos e geralmente gostam de aprender truques. Podem ficar irritados com crianças estridentes. A estrutura pequena do Maltês desmente sua presença destemida. Muito alerta, o Maltês dá início a uma enxurrada de latidos em resposta a ruídos desconhecidos.

Morando Com:

O Maltês é um cão adequado para viver dentro de casa que prospera mesmo em apartamentos e lugares pequenos. Essa raça é difícil de aprender a usar o banheiro, e tende a comer de maneira inconstante. Maltêses perdem pouco pelo e são animais de estimação aceitáveis para a maioria dos alérgicos. Escovação diária e banhos regulares são recomendados para evitar a formação de nós. O pelo ao redor dos olhos deve ser limpo todos os dias para evitar manchas de lágrimas.

História:

Por mais de 28 séculos, o Maltês spaniel tem sido o aristocrata do mundo canino. Acredita-se que o Maltês teve origem em Malta, uma pequena ilha no sul da Sicília. Faz todo o sentido que um cão tão nobre tenha se estabelecido em Malta, cuja civilização se distinguiu pela sofisticação e opulência.

Um Maltês digno de nota, Issa, pertenceu a Públio, o governador romano de Malta no século I. Issa foi descrito em um epigrama famoso como "brincalhão ... mais puro do que o beijo de uma pomba, mais gentil do que uma donzela … mais precioso do que gemas Indianas." Muitos autores famosos e eruditos, incluindo Plínio, o Velho e Strabo, escreveram sobre a beleza, finesse e charme irresistível do pequenino cão Maltês. Os Gregos ergueram tumbas para seus Maltêses e, a partir do século V, esses cães ornamentados foram representados na arte cerâmica Grega. Existe evidência arqueológica mostrando que os cães Maltêses pertenceram aos Egípcios, que podem os ter venerado.

O Maltês foi altamente valorizado na sociedade através dos tempos. De fato, um registro é de um Maltês sendo vendido em 1500 pelo equivalente a $2.000. Dizem que os cães Maltêses eram particularmente populares com mulheres que os carregavam no peito ou nas mangas. Invariavelmente, os eruditos de outrora chamaram a atenção para o tamanho diminuto da raça. Em 1792, o botânico Linnaeus se referiu ao Maltês como tendo "o tamanho aproximado de esquilos." O primeiro Maltês exibido nos Estados Unidos era branco e foi listado como um "cão leão Maltês" na primeira exposição de cães de Westminster em 1877. O American Kennel Club registrou o Maltês em 1888.

Artigos Relacionados