Entenda a Saúde Intestinal do Seu Animal

Publicado Por
minuto ler

Você sabia que o número de bactérias que vivem em seu corpo é maior que seu número de células? E isso também acontece nos pets. A ciência mostra que o conjunto de bactérias que habitam o organismo  - chamado de microbioma- tem uma relação de simbiose com o corpo do animal e afeta sua saúde e bem estar.

O Que é Microbioma?

Na palavra microbioma, micro significa pequeno e bioma refere-se a uma comunidade flora e/ou fauna que habita um ecossistema. A maneira mais fácil de conceituar o microbioma é pensar nele como uma população microscópica de bactérias, vírus, fungos ou protozoários que ocupam o ecossistema do corpo. Embora seja muito comum ouvir sobre bactérias intestinais, existem também bactérias que vivem na pele, na cavidade oral, no sistema reprodutivo de fêmeas e no trato respiratório.

O microbioma intestinal é composto por uma parcela de bactérias intestinais “boas”, que colaboram com a saúde, e também por bactérias intestinais “más” e que podem causar doenças. A maior parte delas habita e exerce sua função na porção intestinal denominada cólon. Num indivíduo saudável, o número de bactérias boas supera o número de bactérias más e ajuda a mantê-las sob controle. Se as bactérias maléficas começam a superar as benéficas, pode ocorrer a manifestação de doenças, o que é conhecido como disbiose. Vale destacar que as bactérias benéficas são essenciais para o funcionamento adequado do organismo. E quando a proporção delas está ideal, o intestino está em eubiose.

Cada microbioma é único e pode ser influenciado por fatores ambientais e pela dieta. Sendo assim, indivíduos que vivem juntos e têm os mesmos hábitos alimentares podem ter microbiomas semelhantes, mas o de cada um ainda será um pouco diferente.  No entanto, as principais funções que um microbioma desempenha são semelhantes mesmo em indivíduos diferentes. Isso quer dizer que, embora as populações de bactérias sejam diferentes, elas ainda apresentam papel parecido, como no caso das funções metabólicas, afirma o Journal of Veterinary Internal Medicine (site em Inglês).

Como o Microbioma se Desenvolve Nos Pets?

Cães e gatos não nascem com seu microbioma já constituído. Os filhotes começam a construí-lo após o nascimento, a partir da convivência com a mãe e do ambiente em que vivem. O microbioma do seu pet pode ser formado a partir de coisas com as quais ele entra em contato todos os dias, de brinquedos a alimentos, ambientes internos e externos e até mesmo a partir do contato com humanos, incluindo você. 

À medida que os filhotes crescem, seus microbiomas também seguem esse curso. Já em animais adultos, o microbioma tende a permanecer estável, a não ser que eles sejam submetidos a situações de doenças ou nutrição inadequada. 

Como o Microbioma Afeta a Saúde Geral do Meu Pet?

As bactérias intestinais não só participam do processo de digestão, mas também sintetizam vitaminas e aminoácidos essenciais, ajudam a prevenir infecções, fortalecem o sistema imune e colaboram com a saúde e o bem estar geral. Estudos já demonstraram a correlação entre a disbiose das bactérias intestinais e o surgimento de doenças, como o diabetes, cardiopatias, doenças autoimunes, como asma e alergia, doenças gastrointestinais, como doença inflamatória intestinal e colites, além de outras condições. Sabemos também que o microbioma de pessoas é capaz de influenciar o humor e que alguns indivíduos com depressão tem a microbiota intestinal alterada. Além disso, um estudo recente no Trends in Cancer (site em Inglês) investiga as maneiras pelas quais o microbioma pode influenciar o desenvolvimento e disseminação do câncer. A microbiota ainda pode ser influenciada pela obesidade, como mostrou um estudo da Sociedade Americana de Microbiologia, que encontrou microbiomas  anormais em cães obesos. 

O microbioma pode afetar quase todos os tecidos do corpo do animal, e por isso um microbioma equilibrado é vital para a saúde. O microbioma intestinal será diferente daquele de sua pele ou cavidade oral. Cada um deles requer necessidades diferentes para ajudar a proliferação e manutenção de boas bactérias ou diminuir o impacto das ruins. A microbiota faz parte do futuro da área médica e veterinária e pesquisadores já estão testando tratamento de indivíduos doentes através dela. As abordagens terapêuticas atuais incluem mudança na alimentação, antibióticos, probióticos, prebióticos e terapia de transplante de microbioma fecal.

Como a Nutrição Afeta o Microbioma?

O alimento tem grande influência na saúde intestinal dos animais. Por isso, prescrever a ração adequada para cães e gatos com intestino sensível é fundamental. Um microbioma desbalanceado reflete diretamente na saúde do sistema digestório, causando diarréia, vômito, constipação, alterações de apetite, problemas de pele, comportamentais, prostração, entre outros sintomas. O microbioma dos cães e gatos é muito sensível, e pode ser afetado pela alimentação, medicações, estresse e ambiente. Mesmo algo aparentemente inofensivo, como a mudança brusca de sua alimentação, pode alterar seu microbioma. Diferentes níveis de proteína, gordura, carboidratos, fibras solúveis e insolúveis também são capazes de influenciar alterar a população de bactérias intestinais. 

De acordo com a revista Cell Host & Microbiome (site em Inglês), um dos mais famosos estudos que mostra os efeitos dos alimentos no microbioma foi realizado pela primeira vez em 2008, quando os pesquisadores transplantaram o microorganismos de um microbioma humano para ratos. Quando a alimentação desses ratos, que era com baixo teor de gordura e rico em legumes e verduras, foi trocada para uma alimentação baseada em fast food, com alto teor de açúcar e gordura, seus microbiomas mudaram significativamente em menos de um dia. 

Quando você alimenta seu pet, também estará alimentando seu microbioma. Novas descobertas estão sendo feitas diariamente, revelando o papel do microbioma na saúde dos animais. No Hill's Global Pet Nutrition Center, um time de cientistas e nutricionistas está correlacionando os efeitos de certos nutrientes no microbioma dos pets, e nas suas células. Entender a relação entre esses nutrientes e as bactérias intestinais está ajudando a formular rações para cães e gatos com problema intestinal, que promovem microbiomas saudáveis e, consequentemente, pets mais saudáveis.

A conclusão é clara: os trilhões de microorganismos que vivem em nossos pets devem ser adequadamente equilibrados para promover sua saúde e bem estar. A nutrição é uma ferramenta fundamental para equilibrar o microbioma e, assim, colaborar com a qualidade de vida de seu animal.

Contributor Bio

Dr. Sarah Wooten

Dr. Sarah Wooten

Dr. Sarah Wooten se formou na Escola de Medicina Veterinária da UC Davis em 2002. Membro da Sociedade Americana de Jornalistas Veterinários, a Dra. Wooten divide seu tempo profissional entre a prática de pequenos animais em Greeley, Colorado, falar em público sobre questões associadas, liderança e comunicação com o cliente e escrita. Ela gosta de acampar com a família, esquiar, praticar mergulho e participar de triatlos.

Related Articles

Related products