Perigos de dietas cruas para cães

Publicado por Jean Marie Bauhaus
Tempo de leitura

“Devo alimentar meu cão com dieta crua?” Você já deve ter feito essa pergunta a si mesmo quando ouve falar sobre esse tipo de alimentação canina. Os defensores de dietas cruas afirmam que os cães são similares a lobos carnívoros, e asseguram que os benefícios dessa dieta incluem pele, pelos e dentes mais saudáveis, maior energia e fezes menos volumosas, de acordo com a PetMD. No entanto, existem poucas evidências científicas para apoiar esses argumentos. Na verdade, a maioria das pesquisas científicas sobre dietas cruas para esses animais mostram que elas podem ser mais maléficas do que benéficas.

Cães não são lobos

Wolf pack on cool, fall morning. Soft focus with shallow depth of field. Focus on the foreground. Backlit.
É uma crença muito comum que, pelo fato dos cães serem descendentes de lobos, devem consumir uma dieta semelhante a de seus ancestrais selvagens. Como os lobos são carnívoros - o que quer dizer que eles comem apenas carne - é frequentemente assumido que os cães também devem ser alimentados com uma dieta carnívora.

O problema com essa suposição é que cães são geneticamente diferentes de lobos, segundo a Revista Science. Os cães se separaram dos lobos e foram domesticados há milhares de anos. Desde então, eles evoluíram ao lado dos humanos para poderem comer muito dos alimentos que consumimos. Em um estudo publicado na revista Nature, pesquisadores geneticistas encontraram claras evidências de que os cães se adaptaram geneticamente para comer uma dieta contendo carnes e amidos. Alimentar seu animal apenas com carne crua, imaginando que ele é um lobo manso, pode acarretar em privação de vitaminas e nutrientes que são vitais para sua saúde. Essa dieta pode representar sérios riscos à saúde não apenas nos cães, mas também em pessoas.

Perigos de dietas cruas para cães

Um estudo de dois anos realizado pela U.S. Food and Drug Administration, no período de 2010 a 2012, descobriu que as dietas cruas para cães são mais propensas a carregar bactérias quando comparadas a outros tipos de alimentos específicos, incluindo Salmonella e Listeria monocytogenes que podem causar doenças. Este estudo levou a FDA a emitir um alerta sobre os riscos à saúde das dietas cruas para os pets. E organizações veterinárias, como a Associação Americana de Hospitais Veterinários, se posicionam oficialmente contra a alimentação de cães com dietas à base de carne crua, assim como a Associação Americana de Medicina Veterinária (AVMA). 

Embora seja possível que seu cão tenha intoxicação alimentar por comer carne crua infectada por Salmonella, E. Coli ou outras bactérias potencialmente patogênicas, é mais provável que seu cão se torne o portador, diz o The Whole Dog Journal. O ácido estomacal desses animais pode neutralizar bactérias infecciosas antes de deixá-los doentes, mas ainda há chance de que eles possam transmitir a bactéria para outros cães ou pessoas com quem entrem em contato. O que é ainda mais preocupante é que um estudo de 2011, publicado no Jornal Veterinário Canadense, descobriu que grande parte da Salmonella encontrada em cães alimentados com dietas de carnes cruas era um tipo resistente a antibióticos.

Outra preocupação das dietas cruas é a obstrução causada por ossos ou outros artefatos sólidos que não tenham sido removidos adequadamente dos alimentos. Isso pode causar asfixia ou danos intestinais no seu pet. Finalmente, as dietas com base em carne crua para cachorro não são adequadamente equilibradas para fornecer ao seu animal os níveis adequados de cálcio, fósforo e vitamina D, essenciais para o desenvolvimento de um filhote em fase de crescimento. Por exemplo, sem a quantidade certa de cálcio, ele poderá desenvolver problemas ortopédicos.

Nutrição balanceada

Puppies eyeing the plate of rice and meat on a teenager
Outro ponto de extrema importância é a falta da nutrição equilibrada nas dietas cruas. Para cães saudáveis (ou seja, que não estão lidando com doenças que necessitam de uma dieta coadjuvante), a Sociedade Americana para a Proteção de Crueldade Contra Animais recomenda uma dieta com o equilíbrio correto de proteínas, água, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais. Alimentos para cães de alta qualidade são formulados especificamente para atender essas necessidades nas quantidades corretas. Além disso, as necessidades nutricionais de um animal mudam à medida que ele passa por diferentes fases de vida. Os alimentos devem ser adequados para cada estágio de desenvolvimento.

Os defensores de dietas cruas alegam que a pele e os pelos de seu animal apresentam melhorias após a introdução desse alimento, no entanto, é possível que quaisquer problemas de pele anteriores tenham ocorrido por uma dieta de baixa qualidade, um fator ambiental que não está mais presente ou reações negativas a alguma marca ou ingrediente do alimento. Em vez disso, trocar essa alimentação por uma ração de alta qualidade pode levar a melhoras semelhantes, além de garantir que seu cão esteja recebendo o equilíbrio adequado dos nutrientes.

Segurança nas dietas cruas

Apesar dos riscos e da falta de evidência científica que apoie os benefícios à saúde de uma dieta crua, muitas pessoas insistem que esse conceito é a maneira mais saudável para alimentar seus cães. Se você ainda não está convencido que dietas cruas devem ser evitadas para esses animais, aqui estão algumas diretrizes de segurança, recomendadas pela FDA, para ajudar a reduzir o risco de contaminação para você e seu pet.

  • Evite tocar seu rosto e boca ao manusear os alimentos crus.
  • Lave bem as mãos com água e sabão após manusear a carne crua.
  • Limpe e desinfete todas as superfícies, utensílios e outros objetos que entraram em contato com os alimentos crus. O FDA recomenda lavar a superfície com água e sabão e, em seguida, limpar com uma solução feita a partir de uma colher de sopa de água sanitária e um litro de água.
  • Congele as carnes cruas até a data de sua utilização (o congelamento não garante a morte de todas as bactérias. Salmonella e E. Coli podem ser resistentes à baixa temperatura). Descongele as carnes na geladeira ou microondas, nunca na pia ou bancada da cozinha.
  • Manuseie cuidadosamente as carnes cruas para evitar que o líquido escorra em outras áreas.
  • Se seu animal não comeu a refeição completa, leve imediatamente o alimento à geladeira ou descarte as sobras com cuidado.
  • Evite beijar seu cão na boca ou focinho e não permita que ele lamba seu rosto.
  • Certifique-se de lavar o rosto e as mãos após interagir ou ser lambido pelo seu pet.

Também é uma boa ideia usar luvas descartáveis no manuseio e alimentar seu animal com pratos descartáveis. Como crianças e idosos são especialmente suscetíveis a doenças transmitidas por alimentos infectados, eles nunca devem entrar em contato com as dietas cruas de seu animal.

As fezes de seu cão também são uma fonte potencial de contaminação. Certifique-se de recolhê-las e descartá-las com segurança, tomando cuidado para não entrar em contato com o material. Lave bem suas mãos com água e sabão quando terminar a coleta.

Com essas informações em mãos, na próxima vez que se questionar: “Devo alimentar meu cão com uma dieta crua? Você pode responder com confiança: “Não”. Embora o entusiasmo dos defensores dessas dietas possa ser atraente, a segurança de seu animal e das pessoas que moram com você deve ser maior. Se você ainda não tem certeza, converse com seu veterinário sobre o melhor tipo de alimento para seu pet.

Contributor Bio

Jean Marie Bauhaus

Jean Marie Bauhaus

Jean Marie Bauhaus é uma mãe de pet, blogueira e romancista de Tulsa, Oklahoma, onde ela geralmente escreve sob a supervisão de um colo de bebês peludos.

Artigos Relacionados

Produtos Relacionados